top of page

qua., 30 de ago.

|

Theatro São Pedro

Adágios para Oboé

Obras de Bach, Händel, Corelli e Zipoli com Alex Klein (oboé) e Fernando Cordella (cravo)

O registro está fechado
Ver outros eventos
Adágios para Oboé
Adágios para Oboé

Horário e local

30 de ago., 20:00 – 31 de ago., 21:30

Theatro São Pedro, Praça Mal. Deodoro, S/N - Centro Histórico, Porto Alegre - RS, 90010-300, Brasil

Sobre o evento

O cravista e diretor artístico da Bach Society Brasil, Fernando Cordella, recebe o célebre Alex Klein, oboísta principal da Chicago Symphony por 9 anos sob a batuta de Daniel Baremboim, ganhador de um Grammy e distinguido como “Solista Emérito” por Riccardo Muti. O duo tocará sonatas barrocas  de Corelli, Zipoli Händel e Bach, conectadas pela presença de belos adagios em seus movimentos lentos. O trigésimo quinto concerto da série Bach Brasil conta com o apoio da Escola de Humanidades da PUCRS, Goethe Institut, EROICA música, Carangacci música e Instituto Ecossis.

INGRESSOS

Venda de ingressos de R$40 a R$140 através do site do Theatro São Pedro:

https://theatrosaopedro.rs.gov.br/duo-klein

PROGRAMA

Alex Klein, oboé

Fernando Cordella, cravo

ARCANGELO CORELLI (1653-1713)

Sonata em Ré menor “La Folia”, Op.5 No.12

- Adagio – Allegro

- Adagio

- Vivace – Allegro

- Andante

- Allegro

- Adagio – Allegro – Adagio

- Allegro

DOMENICO ZIPOLI (1688-1726)

Sonata em Lá Maior para Oboé e Baixo Continuo

(Compositor das reduções Jesuíticas de São Miguel das Missões)

- [Largo]

- Allegro

- [Largo]

- [Allegro]

GEORG FRIEDRICH HÄNDEL (1685 – 1759)

- Passacaille em Sol menor, da Suíte Nº 7, HWV 432

GEORG FRIEDRICH HÄNDEL (1685 – 1759)

Sonata em Fá Maior Op.1 No.11, HWV 369

- Larghetto

- Allegro

- Sciliana

- Allegro

JOHANN SEBASTIAN BACH (1685 – 1750)

Sonata em Sol menor para oboé e cravo obbligato, BWV 1020

(atribuída a Johann Sebastian, autoria provável Carl Philipp Emanuel)

- Allegro

- Adagio

- Allegro

BIOS

Alex Klein

Reconhecido como um dos principais oboístas da atualidade, Alex Klein iniciou seus estudos musicais em seu país natal aos 9 anos, continuando no Conservatório de Música de Oberlin e no Instituto Curtis em Filadélfia. Klein possui um Grammy Award por sua gravação do Concerto para Oboé de Richard Strauss com a Orquestra Sinfônica de Chicago, conduzida por Daniel Barenboim. Klein foi Solista de Oboé em Chicago por 9 anos sob Barenboim, e em 2017 recebeu o título de Solista Emérito de Oboé pelo atual diretor musical Riccardo Muti. Klein ganhou prêmios nas competições internacionais em Genebra, Tóquio, Nova York e Praga, e é regularmente convidado a julgar competições internacionais nessas instituições e também na Inglaterra, China e Rússia. Klein deixou sua posição na Sinfônica de Chicago devido a complicações relacionadas à distonia focal, uma condição neurológica que inibe dois dedos de sua mão esquerda. Durante sua convalescença, Klein dedicou sua carreira musical ao avanço de jovens talentos da América Latina e comunidades negligenciadas, fundando a FEMUSC em 2006, o Festival Internacional de Música de Câmara de São Paulo em 2009 e o PRIMA - Programa de Inclusão Social através da Música e das Artes em 2012. Klein também atuou como maestro de orquestra em frente às principais orquestras brasileiras assim como nos Estados Unidos, Europa e foi o primeiro brasileiro a liderar uma das principais orquestras da China. Depois de re-aprender o oboé e superar suficientemente as limitações da distonia focal, Klein fez uma nova audição para sua posição anterior e retornou à Orquestra Sinfônica de Chicago no que a Chicago Magazine chamou de "uma das maiores reviravoltas da música clássica". Hoje, Alex Klein é Solista de Oboé da Orquestra Filarmônica de Calgary, no Canadá, além de professor de oboé na Universidade DePaul, em Chicago, também lecionando / atuando nos festivais de Aspen, Buzzards Bay e Sunflower, e é regularmente convidado a ensinar master classes e recitais em universidades norte-americanas. Klein gravou dezenas de álbuns com a Sinfônica de Chicago e como solista e músico de câmara, com elogios da crítica. Seu último CD, lançado este ano pela Cedille Records, com sonatas do século XX para oboé e piano, foi indicado ao Grammy por “Produtor do Ano” e foi elogiado pelo crítico David Canfield para a Fanfare Magazine: "Na minha opinião, tocar oboé simplesmente não fica melhor do que isso ”.

Fernando Cordella

Fernando Cordella é considerado um dos principais cravistas de sua geração na América Latina. Maestro e diretor artístico da Sociedade Bach Porto Alegre. Recebeu em São Paulo, o prêmio TOYP JCI como a figura mais expressiva no Brasil do ano de 2015, na categoria “Êxito Cultural”.   Tem atuado como solista e maestro convidado nas principais orquestras do Brasil e exterior, em projetos com: Luis Otávio Santos, Peter van Heyghen, Nathalie Stutzmann, Olivia Centurioni, Roman Garrioud, Michaela Comberti, Bart Naessens, Rodolfo Richter, entre outros.    É coordenador da Oficina de Música Barroca da Escola Municipal de Música de São Paulo e professor da Classe de Cravo da mesma instituição – Fundação Theatro Municipal de São Paulo. Pianista de formação, teve sua orientação com a pianista brasileira Dirce Knijnik e mais tarde na Universidade Federal do Rio Grande Sul com o Prof. Dr. André Loss. No cravo, Nicolau de Figueiredo foi o seu principal mestre.   Vencedor do Prêmio Açorianos 2011 como melhor intérprete pelo disco “CRAVOS – de Frescobaldi a Mozart”.

CRÉDITOS:

Direção artística: Fernando Cordella

Direção audiovisual e de comunicação: Caio Amon

Direção e Engenharia de som: Fabiano Cordella

Direção de produção: Ilton Carangacci

Assistente de palco: Matheus Goelzer

Produtora de comunicação: EROICA conteúdo

Equipe de comunicação: Marcelo Freire

Assessoria de Imprensa: Carangacci música

Presidente da Bach Society Brasil: Jonas Badermann

Financiamento: Mecenas e apoiadores da Bach Society Brasil

Compartilhe esse evento

bottom of page